Temer na cadeia Aécio na cadeia

Temer na cadeia Aécio na cadeia
Copiem e colem em seus perfis

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

É PRECISO CORAGEM PARA MUDAR




A maioria não tem a MENOR MATURIDADE para a 

POLÍTICA

e vai copiando aquilo que repercute, pelo puro vício de copiar. A cara de pau de certas pessoas me deixa com NOJO! 

Ainda vêm dizer que "alguns não têm maturidade pra usar redes sociais", isso é lá coisa que se diga!

As redes sociais são públicas, é um direito de TODOS usar.

Agora POLÍTICA é coisa pra gente com HONESTIDADE E COMPROMISSO! 

Chega de JOGO SUJO! Chega de POLITICAGEM! É hora de um basta!

Quem tem competência para fazer CRIA, quem não tem COPIA

Quanto parasita por aí só sabe sugar.

É preciso CORAGEM PARA MUDAR.

AROLDO FILHO
HISTORIADOR, JORNALISTA INDEPENDE, PROFESSOR
Criador do 1° Arquivo Público do Interior do Nordeste

Número para vereador: 13 777
Pacoti-Ceará

ELES ME COPIAM POR QUE A MINHA ESTRELA BRILHA MAIS



O JOGO SUJO CONTINUA. E se eles não podem bater de frente com a gente, simplesmente continuam copiando tudo, querendo se passar por mim a qualquer custo. Ainda têm a cara de pau de dizer que eu e quem copiou. Pode?

Óleo de peroba já!

Imitam meus discursos, querem se passar por mim, e até minha música de campanha. Claro, por que ela fez grande sucesso. É tanto jogo sujo que dá nos nervos. Mas imaginem comigo, se esse povo não tem criatividade nem pra fazer a própria campanha, imagina eles eleitos. Será que têm competência suficiente para encarar um cargo publico? Será que têm HONESTIDADE E COMPROMISSO?

Caros eleitores, fiquem de olhos bem abertos.


AROLDO FILHO
24/08/2012

terça-feira, 14 de agosto de 2012

CAPITÃO


CAPITÃO

O que faz um capitão não é o chapéu
Um grande convés
O mundo aos seus pés
Cartel ou canhão

A espada que traz
Tropa em saga sagaz
 Sua superstição
O nó da gravata

Famosa bravata
Navio pirata
Céu e prisão
Ação de cantar

Amar ao mar
Mas o seu coração

AROLDO FILHO
14/08/2012


segunda-feira, 13 de agosto de 2012

O PAPEL DO HISTORIADOR



O PAPEL DO HISTORIADOR

A História começou literária, e como toda a boa literatura do entretenimento, está repleta de ilusões arbitrárias e falsificou sempre os homens em incríveis heróis; fazendo dos perdedores os malfeitores mais cruéis.
               
Os vencedores foram por demais endeusados e ainda o são pela nossa falsária História Oficial que se tornou mais científica e nem por isso menos cheia de erros grotescos que os grandes homens forjaram por um intuito político a que ela se deu.
               
O Positivismo de Augusto Comte por um lado ajudou as ciências a se focarem mas fomentou nelas a ilusão de um status de uma senhora dona da verdade em vez de seu devido lugar de aproximações, por que a real cientificidade se aproxima do que de fato ocorreu por que jamais será possível recriar o que já passou; no máximo se reproduz algo para o melhor entendimento por meio de padrões exigentes, fazendo as devidas comparações a que cabe o pensamento empírico.
               
A École dos Annales de Lucien Febvre, Marc Bloch e outros, deu um grande passo ao sugerir uma História feita ano a ano, por que, assim, diminuiria mais os anacronismos e a arbitrariedade documental agora poderia ser confrontada, tendo como documental obras não oficiais; como crônicas de época, fotos, poesias e outros elementos que deveriam ser confrontados entre si, formando um aparato para que o historiador possa tirar conclusões desses documentos analisados em conjunto, usando para complemento também a história oral.

O documento então deixou de ser portador da verdade depois dessa revolução documental e agora o historiador profissional dá o devido juízo de valor com critérios rígidos a se intercalar também com diversas ciências afins; como arqueologia, numismática, psicologia e mesmo de áreas nem sempre tão afins diretamente como mais importantes para o entendimento do processo.
               
O historiador, então, se firma na economia, biologia, neurociência e administração; por vezes também estuda filologia e outras línguas para fazer genealogia, e a cada área a qual ele vier a se focar precisará de ajuda de profissionais das mais diversas áreas para também validarem o que ele descobrir. Por que agora é uma questão de descoberta em conjunto.
               
Foi-se o tempo em que a História era uma ciência parada, hoje é dinâmica. As verdades de ontem não servem para hoje e nem as de hoje serão as de amanhã, no entanto, isso só é possível com trabalho sério, árduo e interação com a sociedade e uso de novos mecanismos tecnológicos como a internet e mesmo o uso sistematizado de documentários, filmes e livros como romances época, que podem por vezes também ajudar em um trabalho didático pegando em vista o professor de História que também precisa de novos recursos para a abordagem de melhor absorção por parte dos estudantes.
               
O historiador é um guia para o caminho do mais provável que ilumina esse vasto caminho de escuridão para a História, não é a única luz mas faz com ela uma ponte a fim de uma iluminação bem melhor. É fato que sempre existirá uma enorme diferença entre a ciência em si de laboratório e a de sala de aula. No caso da História, por ser uma ciência humana, não há para ela precisamente um laboratório em si e também não deve jamais caminhar isolada.

Uma diferença clara entre historiador e professor de História é que aquele busca conhecimentos de outras áreas ; tais como literatura, psicologia, numismática, heráldica, arqueologia, física, química, dança, astronomia, ciência da religião, neurociência, antropologia, etc., além do próprio afinco em descobrir algo novo e construir novas visões, cria formas de abordagens e desmente fatos antigos depois de devidamente estudado.
               
O professor de História não tem obrigação de descobrir algo novo mais de repassar o que já está oficializado pelos historiadores. Não tem uma obrigação de fazer trabalhos fora de sala que mudem a sociedade ou o mundo ao seu redor. Se caso consiga ser ambas as coisas terá o profissional uma responsabilidade dobrada por que além da didática há agora todas as exigências a suprir apesar de ser um grande feito.
               
Mas um papel em comum tanto do professor quanto do historiador é fazer o interlocutor se entender como sujeito ativo da História a qual estuda, repassar a noção de que a História é registrada por determinados homens com determinadas visões políticas formadas no contexto de cada época e localidade específica, sabendo que a cultura do historiador terá sempre peso na sua visão final, por que todo homem é um ser multifocal e o historiador é também, filho, pai, cidadão e, por muitas vezes, tem mais de um emprego e uma visão política pessoal que não será obrigatoriamente de engajamento; embora devesse mais do que ninguém ser engajado, pelo tanto de conhecimento ao qual alcança e produz.
               
Que as próximas gerações enxerguem a História como sua. Saibam que todos passam por ela enquanto ciência, e que toda ciência é falha, pois vive de aproximações, mas nós, historiadores, tentaremos sempre uma maior aproximação do real e é fato que a História muito se modifica por descobertas de várias ciências, principalmente por meio colateral; e ela, por sua vez, muda o mundo de modo direto através, principalmente, do trabalho dos historiadores engajados que tem como função explicar a História e “escolher um lado” como diria o historiador Bóris Fausto.

AROLDO FILHO
Historiador, professor, poeta e jornalista independente.
23/03/2012
22:40

ONDA VERMELHA EM PACOTI




                                                   A onda VERMELHA Invadiu Pacoti
Agora é PT, Marcos e Suely
A NOSSA ESTRELA BRILHA FORTE
Por um Pacoti MELHOR
Vote FICHA LIMPA
Não brinque com a sorte
Vote no MAIOR
13 para 2013
13 777
AROLDO FILHO para vereador
Com CORAGEM PARA MUDAR se vai ao longe
Em defesa da SEGURANÇA PÚBLICA
Para resguardar nosso PATRIMÔNIO HISTÓRICO
Vote 13 777

VOTE EM CANDIDATOS DO PT
Vote no HISTORIADOR
Quem está com o 13, VOTA NO DOUTOR
QUEM VOTA NO DOUTOR, VOTA NO HISTORIADOR

Dr. MARCOS para PREFEITO, HISTORIADOR AROLDO FILHO para VEREADOR
Rumo a 2013 no MOMENTO HISTÓRICO em que o PT chega com toda força em Pacoti
É 13 777

AROLDO FILHO é HISTORIADOR, PROFESSOR, POETA e JORNALISTA INDEPENDENTE.
Criador da Associação Cultural SEMPRE, do Arquivo Público de Pacoti, do Jornal Delfos-CE e da exposição Pacoty, uma História em documentos.
É sócio do Instituto Desenvolver.
Pratica CAPOEIRA, CARATÊ, DEFESA-PESSOAL E CRAV-MAGÁ.

sábado, 4 de agosto de 2012

JOGO SUJO 3



Expresso meu imenso descontentamento com esse jogo sujo de invadir nossa frota com som nas alturas e bater no carro do nosso candidato a prefeito. Os adversários cometeram esse ato vil, talvez por desespero; não consigo enxergar outra razão para tamanha perseguição com abuso tão grade do poder político.

É totalmente RIDÍCULO e DESPREZÍVEL. Dois crimes eleitorais seguidos. Sem falar de outro carro da mesma coligação entrando na rua do hospital com som nas alturas, o que já fora estritamente proibido pela juíza.  

Do meu lado, me alegra bastante estar do lado que vai cortar as correntes da perseguição política; por que quem tem FICHA LIMPA não precisa de artimanhas sujas e desesperadas para ganhar eleição pela intimidação.

A coligação UNIDOS POR PACOTI segue de cabeça erguida e sem fazer esse jogo baixo. Nós não precisamos disso. Temos SERIEDADE bastante para respeitar nossos adversários; mesmo os que cometem tais atos atrozes.

Afinal de contas, eleição deveria ser uma luta de propostas e ideias e não uma batalha marcial. Afinal, estamos em uma CAMPANHA POLÍTICO-PARTIDÁRIA, não em uma GUERRA. É chegada a hora de cortar as amarras do poder. É o momento de cortar o CABRESTO de uma vez por todas. O 13 segue firme, agora mais do que nunca. Rumo a 2013. O PT de Lula, Dilma e Dr. Marcos segue a todo vapor.

AROLDO FILHO
05/08/2012 

FOTOS DE AROLDO FILHO 13 777

 

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

INFORME-SE!


INFORME-SE

Antes de apenas criticar é preciso adequar-se ao tipo de civilização a que estamos sujeitos e compreender que sempre haverá dificuldades e que cabe a nós amenizá-las. Votar, por exemplo, é um ato mais importante do que possa parecer a quem apenas enche o peito de ar para gritar ao mundo que odeia política e que nenhum político faz nada pelo povo; o que de fato não é aplicável à realidade, ou o país já teria falido há muito tempo.

É fato que nossa nação tem muitos contrastes que não serão facilmente resolvidos, mas se ficarmos simplesmente conformados eles simplesmente nunca serão resolvidos. Cada cidadão tem também dever e direito de se por a frente de comando para tratar da administração dos bens de seu povo; informação que não é muito divulgada, nem mesmo em época de eleição.

Nos três poderes existem cidadãos que funcionam como extensão do cidadão comum, que por sua vez também tem poder de prisão, de criar leis, criar organizações não governamentais, institutos e a concorrer também aos cargos desses mesmos poderes; dois deles por eleição direta e um por mérito e indicação.

Talvez até fosse mais democrático se todos os três fossem por mérito ou que o cidadão pudesse ser candidato sem necessariamente depender de um partido ou coligação, ou se um mesmo cidadão jamais pudesse ocupar duas vezes o mesmo cargo político. Tudo isso depende de reformas que certamente não veremos tão cedo sendo aplicadas.

Leis feitas por cidadãos comuns também são postas em prática como a Lei de Criação do Arquivo Público de Pacoti, a nível local, da qual sou um dos criadores, juntamente com Levi Jucá e Rosimar Brito; e a nível federal, a Lei Antifumo, a qual assinei virtualmente e divulgo até hoje no meu primeiro blog; Lei Seca, que foi agora aprimorada pela chamada Nova Lei Seca, que dá mais rigor e acréscimo no valor das multas; e a Lei da Ficha Limpa, que visa barrar candidatura de políticos com ficha suja.

Se você cansou de votar e nunca encontrou o seu candidato ideal, melhor do que virar um dos fanáticos que defendem piamente A, B ou C cegamente, ou que prega o voto nulo ou branco como a única opção, o que de fato não gera mudança alguma; crie coragem e se candidate na próxima eleição, ou procure se informar e crie as leis que você acha que faltam, ou cobre ações dos vereadores e prefeitos já eleitos por projetos que beneficiem seu município ou sua localidade.

É preciso dar o primeiro passo. Informe-se! Busque novas opções! Mova-se! Não deixe que os outros resolvam sozinhos o seu futuro por você! Faça valer os seus direitos e deveres de cidadão!

AROLDO FILHO
02/08/2012

JOGO SUJO 2



Esses políticos não param de me copiar!
É muito bonito pra cara de deles não saberem criar nem as próprias frases.
Já não basta o que se pega no meu pé?
Eleitor abra o olho que até nisso eles fazem JOGO SUJO.

ESTÃO ME COPIANDO EM TUDO.

Isso é irritante demais!
Daqui a pouco vai ter candidato pondo a minha foto e o número dele embaixo. É só o que tá faltando.

Tem uma coligação inteira que copio a minha frase "Vote no MAIOR por um Pacoti MELHOR", um candidato imitou a frase "Honestidade e Compromisso", sem falar de outras tantas coisas chatas dessa eleição.

Se esse povo todo já é baixo assim antes de entrar no poder imaginem lá o que não farão.

A POLITICAGEM NO PACOTI É MUITO SUJA.

Está na hora de eleger pessoas que saibam CRIAR em vez de COPIAR, que tenham FICHA LIMPA em vez de quem compra voto, que vê no próprio nome uma arma forte de campanha. Pessoas que não saiam PERSEGUINDO os adversários políticos, que acima de tudo pessoas que JOGUEM LIMPO.

AROLDO FILHO
2012

JOGO SUJO

                                            


É muito feio o modo como alguns, para nos atingir, vêm se referindo ao Partido dos Trabalhadores e pior ainda, falando mal dos nossos eleitores. Penso que seja dispensável adjetivos para tal ato.

Em primeiro lugar é preciso parar de fazer POLITICAGEM, aprender o real sentido da política; que é se ater a uma visão holística em prol do futuro de todos. Um bom político tem que CRIAR PROJETOS que beneficiem a comunidade e não falar mal do povo.

É triste ver todo esse JOGO SUJO que só visa humilhar o adversário. Saibam que estamos de cabeça erguida e é da sapiência de todos o que o Partido dos Trabalhadores fez pelo Brasil.

É necessário parar essa POLITICAGEM de ofensas vazias forjadas para MANIPULAÇÃO. É chegada a hora de fazer uma política de verdade, LIMPA, SEM O VÃO FANATISMO que tanto segura votos de cabresto.

É hora de mudar para algo NOVO. Que se mude a cultura de agredir e se aprenda de fato a progredir culturalmente. Fazer política com boas propostas em vez de digladiações inúteis.

AROLDO FILHO
27/07/2012